Bento Gonçalves/ RS


                                BENTO GONÇALVES - RS




A cidade de Bento Gonçalves é um importante polo industrial e turístico da Serra Gaúcha. A vocação industrial e turística mesclam a cultura do seu povo: a garra do seu trabalho desenvolveu a industria e ao mesmo tempo a  preservação da cultura de sua origem criou um núcleo de atrativos turísticos ligados à uva e ao vinho.

Situada no alto da Serra Gaúcha, Bento Gonçalves é uma cidade de gente acolhedora e de natureza exuberante que figura entre as 10 maiores economias do Rio Grande do Sul.

Bento destaca-se pela elevada pontuação em índices como IDH, que  leva em consideração itens como longevidade, educação, saúde e renda. Em 2003, a cidade teve a primeira posição do Rio Grande do Sul no Índice de Desenvolvimento Humano -IDH e 6ª colocação do Brasil (Fonte: Organização das Nações Unidas - ONU).

  
 BENTO - LOCALIZAÇÃO  

Bento Gonçalves localiza-se na Encosta Superior do Nordeste do Rio Grande do Sul, a 124 quilômetros da capital Porto Alegre, a uma altitude de 618m do nível do mar.

A população de Bento Gonçalves é  de 108.490 habitantes (IBGE - 2011).

A àrea territorial da cidade tem a extensão de
 382,5 Km². A cidade possui  um relevo bastante acidentado, caracterizado por escarpas e vales e  uma rica rede hidrográfica, sendo cortada por vários arroios. O principal rio é o Rio das Antas.

O clima da cidade é o subtropical de altitude, sendo os meses mais frios junho e julho, com temperaturas médias mínimas de 8ºC e médias máximas de 17ºC. Os  meses mais quentes são janeiro e fevereiro, com temperaturas médias mínimas de 17ºC e médias máximas de 26ºC. 

        
 BENTO - CAPITAL BRASILEIRA DA UVA E DO VINHO
  
Bento possui o título de Capital Brasileira da Uva e do Vinho. A cidade é sede de várias festas e feiras alusivas à uva e ao vinho. A Fenavinho - Festa Nacional do Vinho é a maior e mais antiga festa comunitária do município.

A vitivinicultura  representa a terceira maior economia do município. O Vale dos Vinhedos  é a primeira região do Brasil a obter a Indicação de Procedência - IP e também da Denominação de Origem - DO (setembro/2012), importantes certificados  de qualificação de seus vinhos a nível mundial. 





 BENTO - ECONOMIA E TURISMO DE NEGÓCIOS

Bento Gonçalves é o maior e o mais expressivo pólo moveleiro do Estado. Merecem destaque na economia da cidade os setores vinícolas, metalúrgico, de transportes e frutícola.

Roteiro garantido para o turismo de negócios, Bento Gonçalves sedia hoje as maiores feiras do país e da América Latina no segmento industrial e comercial.
O Parque de Eventos é o palco das grandes feiras conhecidas nacional e internacionalmente, bem como eventos e shows realizados na cidade.


 BENTO - TURISMO
Marca turística de Bento Gonçalves

Bento Gonçalves é um dos mais belos e importantes roteiros turísticos da Serra Gaúcha, com sua vocação turística, paisagens ‘bordadas de parreirais’ e natureza exuberante.

Escolhida pelo Ministério do Turismo como um dos 65 pólos indutores de turismo do Brasil, a cidade tem na hospitalidade uma de suas características mais marcantes. Anualmente a cidade recebe uma média de 800 mil visitantes, que buscam o clima acolhedor da serra, o bom vinho e a farta gastronomia italiana. Na área urbana da cidade ou no seu entorno, junto aos distritos, podem ser apreciados os vários atrativos que a cidade oferece.
 O contato direto com a natureza pode ser  apreciado com a pratica das diversas atividades de ecoturismo. 

Site da Secretaria de Turismo de Bentowww.turismobento.com.br



 BENTO - HISTÓRIA

Vista do Centro de Bento Gonçalves no dia 9 de maio de 1915. À esquerda o atual Palácio Municipal - Acervo: Museu do Imigrante


Em 1875 inicia a imigração italiana na Encosta Superior do Nordeste onde se localiza Bento Gonçalves, originando a Colônia de Dona Isabel,  em homenagem à princesa Isabel de Bragança. Somente em 11 de outubro de 1890 essa colônia é desmembrada do município de Montenegro e torna-se a  cidade  de Bento Gonçalves, em homenagem ao ilustre herói farroupilha.


 BENTO - ESPORTIVO
Estádio "Montanha dos Vinhedos", do Clube Esportivo Bento Gonçalves

O Clube Esportivo Bento Gonçalves é a agremiação esportiva oficial da cidade. O clube foi fundado em 28 de agosto de 1919 e inaugurou seu atual estádio "Montanha dos Vinhedos" em 2004.

O estádio Montanha dos Vinhedos possui capacidade para 13 mil espectadores, 4 vestiários, 12 cabines de imprensa e um sistema de iluminação com 128 refletores. Por ser conhecido como uma das sedes esportivas com melhor infraestrutura do interior do Rio Grande do Sul, possibilitou a Bento Gonçalves entrar na disputa para ser um dos Campos Bases de Equipes (Team Base Camp) durante a Copa do Mundo 2014.


HISTÓRICO BENTO GONÇALVES
Vista do Centro de Bento Gonçalves no dia 9 de maio de 1915. À esquerda o atual Palácio Municipal - Acervo: Museu do Imigrante

Em 1875 inicia a imigração italiana na Encosta Superior do Nordeste, originando as Colônias de Dona Isabel (hoje Bento Gonçalves), Conde D` Eu (hoje Garibaldi) e Nova Palmira (hoje Caxias do Sul).

A Colônia Dona Isabel (Bento Gonçalves), criada em 1870, já era conhecida como Região da Cruzinha, devido a uma cruz rústica, cravada sobre a sepultura de um possível tropeiro ou traçador de lotes coloniais. Era época do escambo, da troca de mercadoria por mercadoria. A Colônia Dona Isabel sediava um pequeno comércio no qual os tropeiros faziam paradas para descanso.
Em 24 de dezembro de 1875, os núcleos do Planalto começaram a receber novos imigrantes e em março de 1876, o Presidente do Estado José Antonio de Azevedo Castro, anunciava a existência de 348 lotes medidos e demarcados e uma população de 790 pessoas, sendo 729 italianos. Simultaneamente pioneiros oriundos do Tirol Austríaco e Vêneto chegaram à esplanada onde hoje está situada a Igreja Matriz Cristo Rei.
A troca, compra e venda de produtos era feita na sede da colônia, após longas caminhadas por estreitas picadas (trilhas abertas no meio da mata) demarcadas pelos próprios imigrantes. Entre os imigrantes havia ferreiros, sapateiros, marceneiros, alfaiates, carpinteiros, entre outros profissionais que estabeleceram seus negócios dentro de suas especialidades, atendendo às necessidades locais. O surgimento das construções das casas, os instrumentos de trabalho e o mercado foram acompanhando o desenvolvimento de Colônia Dona Isabel e também as exigências que se apresentavam.  Frente ao desenvolvimento as condições das estradas foram melhorando e surgiram as primeiras carretas. Em cinco anos, houve um acréscimo de quatro mil habitantes, entre nascimentos e novos imigrantes.
Em 1881 inicia a abertura da primeira estrada de rodagem ligando a Colônia Dona Isabel a São Jõao de Montenegro (hoje Montenegro). O início do povoamento foi marcado por inúmeras dificuldades. Em 1877 a Colônia Dona Isabel sediava três casas comerciais, duas padarias, uma fábrica de chapéus e um total de 40 casas comerciais que ofereciam serviços e produtos diversos em todo o território da colônia.

Foto mostra atual Praça Walter Galassi em 1922, quando era chamada de Praça Centenário. O local foi inaugurado durante as comemorações  do centenário da independência do Brasil. Acervo Museu do Imigrante  

O desmembramento da Colônia Dona Isabel do município de Montenegro, foi oficializado pelo ‘Acto’ 474, de 11 de outubro de 1890, assinado por Cândido Costa, que constituiu o município de Bento Gonçalves. O nome foi dado em homenagem ao general Bento Gonçalves da Silva, chefe da Revolução Farroupilha, ocorrida no Rio Grande do Sul de 1835 a 1845.
Bento Gonçalves deu seu primeiro impulso de progresso com a vinda da agência do Banco Nacional do Comércio e Banco de Pelotas. Entre os anos de 1919 e 1927 ocorrem a instalação da luz elétrica, da estação transformadora e da rede de distribuição. É também inaugurado o Hospital Dr.Bartholomeu Tacchini.
Em 1950 a população era de 22.600 habitantes. As principais atividades econômicas eram as do setor agrícola. Contudo, começaram a surgir várias indústrias, como de acordeões, laticínios, móveis, curtume, fábrica de sulfato e vinícolas. Em 1967 Bento Gonçalves passa por uma grande transformação, considerada um marco histórico.

O Presidente da República General Humberto de Alencar Castelo Branco (Centro) visitou Bento Gonçalves e a I FENAVINHO no dia 25 de fevereiro de 1967. Na foto também estão presentes o bentogonçalvense General Ernesto Geisel, então Chefe da Casa Civil que de 1974 a 1979 se tornaria Presidente da República e o prefeito de Bento Gonçalves Milton Rosa. Acervo Arquivo Histórico Municipal.

Com a colaboração de dinâmicas lideranças e a ajuda de toda a comunidade, surge a I Fenavinho, a Festa Nacional do Vinho. O município foi visitado pela primeira vez por um Presidente da República, o Marechal Humberto de Alencar Castelo Branco. O principal produto e a força da economia de Bento Gonçalves foram divulgados em todo o Brasil, tornando a cidade conhecida nacional e internacionalmente. O município descobre a sua vocação para o turismo de negócios e começa a sediar eventos de grande porte, como Fenavinho, Expobento, Fimma e Fiema.

Atualmente Bento Gonçalves conta com uma população de mais de 100 mil habitantes,  e Produto Interno Bruto de R$ 2.015.000,00 (ano de 2004). A cidade é reconhecida como um dos maiores pólos moveleiros do sul do Brasil. O pavilhão do Parque de Eventos, onde aconteceu a I Fenavinho em 1967, hoje conta com 50.000m² de área construída totalmente climatizada, competindo com o Parque do Anhembi, em São Paulo. A cidade se constitui num atrativo de Eventos Internacionais.

Fonte: Historiadora Assunta De Paris / Arquivo Histórico Municipal



SÍMBOLOS DE BENTO GONÇALVES

DATA DE EMANCIPAÇÃO
11 de outubro de 1890

GENTÍLICO
Bento-gonçalvense

BRASÃO MUNICIPAL

Foi criado em 12 de dezembro de 1966, pela Lei Municipal 216. É utilizado em todos os documentos oficiais do município. O brasão recorda em seus símbolos e cores o desenvolvimento industrial do município, a uva, o vinho e o caráter do seu povo, expresso pelo dinamismo e organização.

BANDEIRA
A bandeira sugere paz e exalta o trabalho da família bento-gonçalvense como único fator do progresso da comunidade. O símbolo foi criado em 23 de setembro de 1968, através da Lei Municipal 285. Suas características: retângulo branco, tendo ao centro o Brasão do Município, com uma faixa vermelha em diagonal, coincidindo com a faixa vermelha do Brasão, com a legenda “Paz e Trabalho”.

HINO A BENTO GONÇALVES
É resultante de um poema de Maria Frota, musicado por Rui Barrros. Foi cantado pela primeira vez durante a realização da I Festa Nacional do Vinho - Fenavinho, em 1967. Foi transformado em símbolo oficial do município somente em 1985.

HINO A BENTO GONÇALVES - CAPITAL DO VINHO
Bento Gonçalves querida,
Bordada de parreirais,
Terra estuante de vida
Origem de nossos pais.

Bento Gonçalves querida,
Bordada de parreirais,
Onde o vinho borbulhante
Jorra jorra em cascatas reais

Salve esta terra fecunda,
Que a mão divina criou
E com trabalho e fé profunda
O imigrante desbravou

Bento Gonçalves querida,
Meu desejo é teu progresso
É ver-te de fronte erguida,
Altiva,
No tribunal do universo!

Nome de grande vulto,
Que o Rio Grande soube honrar,
Meu rincão é meu culto
Do Brasil é meu altar.

Uvas de várias castas,
Enriquecem a região,
Com teu doce vinho afastas
As mágoas do coração

A ti meu melhor carinho,
Linda Capital do Vinho.

FLOR OFICIAL DO MUNICÍPIO
Azaléia, cor vinho. Instituída pela Lei Municipal nº 1.619, de 03 de julho de 1989.

Nenhum comentário:

Postar um comentário